10.28.2008

O limite da mobilidade é a segurança do nosso ambiente combinado com nosso grau de paranóia


Então, ontem twittaram um caso que me deixou de cabelo em pé! Roubaram o notebook o @arcanjo e ele postou o vídeo da câmera de segurança no local no YouTube.







Como ele mesmo diz nas infos do vídeo , quem souber de alguma informação sobre o caso é só entrar em contato com ele.

Bom, vendo o caso o @arcanjo, lembrei do que me aconteceu esse mês em Brasília, durante minha viagem de férias. Estava visitando o campus da UnB e sentei em um banco em frente à biblioteca de lá e coloquei minha câmera fotográfica na bolsa, aliás, achei que coloquei. De lá da universidade sai para conhecer mais uns pontos da cidade e quando cheguei na Catedral notei que a câmera não estava comigo. Acabei voltando na UnB só para verificar. Cheguei no balcão de informações da biblioteca completamente desacreditada que minha câmera estivesse lá, porém a moça acabou me informando que tinham acabado de entregar uma no achados e perdidos. Quase dei um beijo na boca da mulher de tanta felicidade e até aproveito para deixar aqui meus sinceros agradecimento á este ser civilizado, iluminado e muito bem-educado que encontrou a câmera e a devolveu. 

Vendo estes dois fatos noto como nosso espaço seguro e completamente instavél e pequeno. E o que acontece com as pessoas?? Claramente no vídeo do @arcanjo podemos deduzir que os caras já estava de olho na mochila desde antes dele entra no restaurante, pois eles sabiam que lá tinha um notebook.

Sei lá, enquanto o mundo não acaba e nasce de novo, o jeito é ficar muito esperto, vi no Yahoo!Posts o caso o GeracaoInternet.com sobre o o roubo de mochilas na região da Av. Paulista aqui em São Paulo


2 comments:

Sabrina Mix said...

Oi, Sy!

Minha primeira vez no seu blog. Estou adorando conhecer este cantinho.

Realmente o pessoal da UnB é muito educado mesmo. Não é à toa que eu estudei lá. hehehe...

Brincadeiras à parte, tomara que encontrem o notebook do seu colega.

Beijos e sucesso!!!

denise rangel said...

Poxa, que pena. Mas acho que ele não encontra mais não. Quem rouba é diferente de quem acha um objeto.
Você deu a sorte de encontrar com o segundo tipo de pessoa.
Ótimo fim de semana
beijo,menina